Metodologia Infantil – Brincadeira de Angola

Este Curso é GRATUITO
Metodologia Infantil - Brincadeira de Angola  IBCE 1

Descrição do Curso

Este curso termina em 11/15/2018.

Detalhes do Curso

A formação BDA online visa auxiliar os professores a complementarem seus processos de ensino-aprendizagem. Ela não se propõe a formar ninguém professor de Capoeira, pois este é um processo que leva uma vida inteira, mas facilitará a trajetória de todos.

A formação é acessível, mas é trabalhosa.

Alguns requisitos para dar aula de Capoeira são mínimos, e até o fim do processo de 6 meses é imprescindível que você os domine. Um deles é saber tocar e cantar com todos os instrumentos, por exemplo. Se você ainda não tem este domínio mínimo dos instrumentos, do canto e do toque, não se preocupe, pois nunca é tarde para aprender. Você tem 28 semanas pela frente para aprender e se aperfeiçoar. Aproveite e incorpore na sua rotina um tempo de estudo diário para a música.

Toda semana você receberá uma tarefa específica, para compartilhar com sua rede de contatos.

Por quê toda semana uma tarefa? 

  • Porque sua vida profissional e pessoal depende da sua regularidade. Você irá criar um hábito de se preocupar semanalmente com seus avanços e isso irá te transformar como profissional.

Por quê compartilhar? 

  • Porque o mundo precisa de você! Quando você fala sobre seu trabalho, seu estudo e seu avanço, você começa a influenciar positivamente os demais com suas atitudes! É como uma estrela: ela precisa brilhar para iluminar os outros astros.
Semana 1 - Bases Filosóficas e Metodológicas Semana 2 – Introdução à Capoeira-Educação Semana 3 – Estudo de Vídeos

Tarefa III-b
2 of 2
RESUMO Preencha o formulário abaixo e aponte as 3 coisas que mais te chamaram a atenção no vídeo do SESC. Que tipo de reflexões você teve? O vídeo te trouxe algo de novo?   2. Estudar Conteúdo Novo   Para esta semana você deve estudar um pequena lista de vídeos curtos. O maior dele tem 2 minutos e são todos representativos da metodologia, Passo-a-passo: Abra a playlist: https://www.youtube.com/playlist?list=PL-Y8CH6gqPmSpPi26m3SLLZ5t6o2li9g0 Assista os 16 vídeos Escolha 8 deles, pois a tarefa da semana que vem estará vinculada a isso. 3. Compartilhe o conhecimento   Muita gente me enviou mensagens como essa:“Oi, Mestre! Um amigo meu compartilhou no Facebook a notícia de que o Curso estava aberto e eu consegui me inscrever!”ou“Assisti o video do SESC graças a uma amiga que postou-o em sua linha do tempo! Já me deu um monte de ideias novas para trabalhar!”.   Isto quer dizer que estamos fazendo uma grande comunidade de capoeiristas-educadores que fazem questão de compartilhar conhecimento, assim como eu e você!   Faça sua parte: auxilie os demais e ainda receba o valor que você merece por estar cuidando da sua reputação: Copie agora mesmo esta playlist: https://www.youtube.com/playlist?list=PL-Y8CH6gqPmSpPi26m3SLLZ5t6o2li9g0 e cole no seu mural do Facebook com uma mensagem do tipo: “Fulano e Beltrano, olhem esta playlist! Tem 16 vídeos interessantes para quem trabalha com crianças! Este é meu material de estudo para esta semana no Curso Online de Capoeira Infantil do IBCE”. As pessoas vão ver que você está investindo na sua formação e isso estimula os outros a fazerem o mesmo! Lembre-se de marcar seus amigos no post e de botar as hashtags para que possamos acompanhar seus avanços! #Capoeiraeducacao #CapoeiraIBCE #brincadeiradeangola

Semana 4 – A Capoeira como Prática Transformadora Semana 5 – Capoeira-Educação e Autonomia Semana 6 – Capoeira-Educação e Racismo Semana 7 - Objetivos

Tarefa VII-c
3 of 3
2a parte: Conhecimento Novo Para esta semana, vamos falar de objetivos!  Imagine que uma escola esteja fazendo uma seleção para escolher professores e a primeira pergunta seja “Qual o objetivo do seu projeto? O que você quer com ele?”. O que você vai responder? “Meu objetivo é ensinar Capoeira” ou “Meu objetivo é que a criança seja feliz”?!   Isso todos os outros professores também podem falar, pois é um objetivo óbvio a qualquer aula de Capoeira. O que a escola quer saber é qual o seu diferencial; por que escolher você e não o outro; se você tem clareza filosófica, metodológica e política no seu fazer pedagógico. Vamos agora organizar nossas ideias para botarmos no papel nosso objetivo.   As perguntas básicas que todo professor tem que se fazer para ter clareza de seu objetivo são:   “O quê?” – “O que eu quero com meu trabalho de Capoeira?” “Como?” - “Como vou atingir o que eu quero?” “Por que?” “Por que eu estou fazendo isso?”   Isto depende de quem é o seu público. A Capoeira é a matéria-prima, mas pode-se trabalhar com ela de dezenas de maneiras com resultados e objetivos bem diferentes. Vou mostrar 3 exemplos:   Exemplo 1. Se eu sou um treinador e quero descobrir potenciais atletas de Capoeira para ganhar campeonatos, vou resumir meu projeto assim: “O objetivo do Projeto Capoeira Campeão é descobrir potenciais talentos por meio de testes de habilidades, visando à identificação de atletas capazes de ganhar campeonatos”.   Exemplo 2. Se eu sou um psicólogo e quero ajudar pacientes a se fortalecerem emocionalmente, vou resumir meu projeto assim: “O objetivo do Projeto Caponhecimento é o empoderamento emocional dos pacientes por meio de jogos que trabalham as emoções, visando à melhora de suas habilidades sociais”.   Exemplo 3. Se eu...

Continue Reading

Semana 8 - Livro Brincadeira de Angola Volume II Semana 9 – Planejamento

Tarefa IX-c
3 of 3
2a parte: conhecimento novo   Vamos fazer o PLANEJAMENTO, como falado no vídeo!   Antes de mais nada, veja o passo-a-passo de um de nossos projetos de 4 aulas, o CAPOEIRA E CANTIGAS POPULARES no site da Nova Escola, clicando na imagem abaixo:     Clique na imagem abaixo para ver um outro projeto nosso, o VINCULAÇÃO, com 8 aulas:     Sua vez!!! Você irá planejar 4 aulas e cada uma deve seguir o seguinte modelo: Conforme vimos no vídeo, se a 1a aula do meu projeto fosse a do Saci, minha organização ficaria assim:   Lembre-se de conectar todos os conteúdos! Cada atividade tem que ter a ver com as demais e todas tem que ter a ver com o objetivo do projeto. Você pode inventar cantigas para os personagens ou utilizar outras que já existem. Use a imaginação!   Formulário Aperte no símbolo de “?” para ver instruções de apoio. Lembre-se de escrever corretamente seu email para receber uma cópia ao final. Vamos fazer um PLANO DE 4 AULAS. Não estamos falando sobre os macro objetivos do seu projeto maior com a Capoeira e sim sobre as aulas que você vai dar na semana que vem. Antes de finalizar, revise seu projeto, perguntando-se: Há roteiro claro em cada aula, com começo, meio e fim? Há conexão entre as 4 aulas? Uma leva à outra? As atividades estão adequadas à faixa etária que será trabalhada?       3a parte: Compartilhar conhecimento   Compartilhe agora uma foto nas redes sociais de você mesmo estudando, uma selfie de você quebrando a cabeça.  Marque seus amigos, perguntando se eles também tem alguma forma de organização de suas aulas. Com certeza tem alguém que está precisando aprender contigo e com certeza tem alguém de quem você pode aprender algo!   Compartilhe, pois conhecimento...

Continue Reading

Semana 10 – Organização Curricular

Tarefa X-b
2 of 2
Resumo Conteúdo Novo Agora que você se deu ao trabalho de quebrar a cabeça fazendo seu planejamento, vamos falar mais um pouco de como o organizamos.   ORGANIZAÇÃO DE CURTO, MÉDIO E LONGO PRAZO No método BDA dividimos o planejamento em permanente, diário, bimestral e anual.   Permanente: são atividades regulares, rotineiras, que se repetem continuamente com o objetivo de criar hábitos, previsibilidade e familiaridade com determinados conteúdos, como por exemplo a repetição de certas cantigas; de certos movimentos ou de certas brincadeiras.   Diário: se refere ao sistema de organização das aulas, com um tempo fixo para: Atividades com circuitos de obstáculos Atividades musicais com as crianças tocando instrumentos Jogos e brincadeiras   Bimestral: dividimos o ano em 4 blocos bimestrais, totalizando 8 meses, pois os outros são de férias ou de adaptação. Organizamos o bimestre em sequências de atividades de 8 aulas, estruturadas em cima de um objetivo específico. Cada atividade é necessariamente interligada a seguinte, com aumento progressivo da complexidade, fazendo que uma brincadeira gere as condições para a realização da próxima. A cada fim de bimestre é feita uma filmagem do projeto e uma apresentação aos pais. Se não for possível fazer filmagem, escrevemos detalhadamente o projeto para arquivo.   Anual: é baseado em critérios de avaliação da aprendizagem de determinados conteúdos por uma determinada turma. Por exemplo: as crianças de 5 anos são esperadas de chegar ao fim do ano realizando um “aú-estrela” esticado, fazendo uma bananeira de parede com autonomia, tocando pandeiro com técnica de condução e jogando capoeira com uma relação de ataques e defesas. Estas habilidades devem ser estimuladas e inseridas ao longo do ano em ordem crescente de complexidade, e ensinadas paralelamente aos conteúdos dos projetos bimestrais. Por exemplo: se meu planejamento bimestral para a turma de 5 anos é um...

Continue Reading

Semana 11 - Registro

Tarefa XI-b
2 of 2
Resumo     Conhecimento novo:   Hoje vamos falar sobre REGISTRO.   No Método Brincadeira de Angola consideramos importantíssimo mantemos registros de nossos alunos e planejamentos, por um motivo simples: se não houver um olhar sobre o passado não é possível se planejar o futuro.   Ao registrar seu cotidiano como um observador externo o professor consegue se distanciar do que está fazendo. Isso permite que se revise o que foi feito e abre um campo para reflexão sobre sua prática. Isso é um ponto fundamental para o aprimoramento do seu fazer pedagógico.   As formas clássicas de se registrar as aulas são escrever um diário de classe; manter fichas de aulas; fazer relatórios; anotações; observações ou dicas. As formas modernas incluem: gravação de áudio e vídeo.   As perguntas a se fazer são: “Olhando este registro daqui a um ano eu vou entender o que fiz? Outra pessoa entenderia?”   Seguimos alguns critérios na hora de registrar: Regularidade: os projetos são filmados ou escritos ao fim de cada dois meses. Não é preciso fazer diariamente os registros, mas manter-se uma organização dos conteúdos para posterior descrição. Sistematização: o registro deve seguir uma lógica narrativa, de forma que outra pessoa compreenda o que foi feito no projeto. Relevância: o que importa não é a quantidade de informações e sim a qualidade delas. Um projeto de 2 meses pode ser reduzido em um vídeo de 4 minutos   Compartilhar conhecimento   Hoje é o grande dia de você postar os vídeos que fez com as duas primeiras brincadeiras do seu projeto! Mesmo que não tenham ficado muito bons, poste-os e ouça os comentários da sua rede de contatos. Nesta semana continuaremos com as filmagens da 3a e 4a atividade do seu projeto. Capriche a aproveite o que já aprendeu fazendo as filmagens...

Continue Reading

Semana 12 – Desenvolvimento Motor

Tarefa XII-b
2 of 2
Resumo     Conhecimento novo   Nesta semana vamos falar de desenvolvimento motor! Um professor deve ser capaz de adaptar suas brincadeiras às diferentes faixas etárias, para que não tente fazer algo que esteja aquém ou além das capacidades médias de uma turma de determinada idade.   Olhe a tabela abaixo do Livro Brincadeira de Angola – Volume 2 e veja este vídeo         Lembre-se que esta é uma tabela de referência das capacidades médias e não uma receita de bolo. Pode haver crianças de 5 anos que ainda estejam com o "aú" numa fase equivalente ao da média das crianças de 3 anos.  Pode haver outras que já estejam além, fazendo movimentos ainda mais difíceis.   É preciso um olhar sensível para trabalhar com as habilidades médias do grupo, mas ao mesmo tempo ter um olhar individual às crianças que estejam com desenvolvimento aquém ou além do proposto na tabela.   É importante também que o professor tome cuidado com a expectativa dos pais, pois muitas vezes eles desejam que seus filhos saiam fazendo movimentos complexos em um mês de aulas ou na faixa etária inadequada. É comum ouvirmos perguntas do tipo: “Quando meu filho vai fazer macaquinho?” ou “Quanto tempo demora para ele dar um salto mortal?”. Tenha consciência de que seu compromisso é com o desenvolvimento da criança e que você deve explicar aos pais o que será trabalhado em qual faixa etária.   Sua tarefa desta semana: Escolha somente um movimento entre os quatro apresentados na tabela acima (ginga, aú, bananeira ou rabo de arraia) e faça uma filmagem com crianças de duas diferentes faixas etárias, mostrando que você compreendeu como adaptar os movimentos e brincadeiras para cada uma.   Caso você não tenha acesso à crianças ou não possa filmar sua turma,...

Continue Reading

Semana 13 – Atividades Diárias Semana 14 – Atividades Permanentes - Fórmula I

Tarefa XIV-b
2 of 2
Conhecimento Novo: Para esta semana, vamos entrar numa fase nova: atividades permanentes, que que criam previsibilidade para as crianças. Estas atividades se repetem sempre da mesma forma.   Por que repetir as brincadeiras?  Você já reparou que as crianças adoram ouvir sempre as mesmas histórias e assistir os mesmos filmes? Isso se dá porque as crianças precisam de estabilidade e segurança. As repetições fortalecem o sentido de ciclo, onde o fim já é esperado desde o início.   Minha aula vai ficar chata? Provavelmente você se lembra do “Chaves”, do “Chapolim Colorado”, dos “Tele-Tubbies” ou de outros programas infantis que repetiam-se de forma idêntica e faziam o maior sucesso entre as crianças. Isso se dava por conta da previsibilidade e da segurança que as crianças precisam ter em suas rotinas.   Lembre-se que a criança tem pouquíssimo poder de previsão de futuro, pois ela não decide quase nada de sua própria vida. Os adultos decidem o que ela vai comer, quando vai tomar banho, qual será sua pasta de dentes, para onde vai viajar, qual será sua escola etc. Ela ouve perguntas como “o que você vai ser quando crescer?” e não tem resposta. Ela não entende porque um dia está quente e no outro frio ou porque o cachorro morreu e nunca mais vai aparecer. Sua vida é totalmente imprevisível e isso gera insegurança constante.   A repetição de certas atividades rotineiras as leva a se acalmarem, pois pelo menos sabem como vai ser o fim da história, o fim do filme, o objetivo da brincadeira, tendo um poder mínimo de previsão.   Não tenha receio de que suas aulas se tornarão entediantes por serem repetitivas. Seja teatral e use sua expressão corporal para que a repetição seja tão divertida quanto assistir o mesmo filme 10 vezes.   Existe...

Continue Reading

Semana 15 – Papel político do Capoeira-Educador

Tarefa XV-b
2 of 2
RESUMO   Conteúdo Novo   Hoje vamos falar sobre Recreação x Educação. Estamos trabalhando com técnicas, atividades e brincadeiras que dão certo tanto em aula quanto em festas infantis. O professor que dominar as técnicas se tornará uma espécie de mágico, “encantando” a garotada com sua teatralidade. É fácil passar a vida fazendo somente estas atividades, se tornando um recreador, o “tio” da Capoeira. E é aí que mora o perigo!   Paulo Freire, no livro “Professora, sim. Tia, não” já denunciava os perigos da desvalorização do profissional de Educação, entre os quais incluo o professor de Capoeira.   Nas  escolas de Educação Infantil do Rio de Janeiro é quase unânime o pronome de tratamento “tio” ou “tia”. Esse título traz em si agudos questionamentos, entre eles a desvalorização profissional de quem escolhe trabalhar com crianças de 0 a 6 anos.   Não à toa o corpo docente das creches é majoritariamente formado por mulheres e os salários são muito mais baixos que os pagos para profissionais que trabalham no Ensino Fundamental ou Médio. Há um componente machista em toda a estrutura que minimiza a importância da Educação Infantil, transformando a profissão em “recreação”.   Tome cuidado para não cair nesta armadilha. Tenha em mente o seu papel como profissional de Educação e valorize-se.   Mas e quando a criança te chama de “tio”? Eu olho pra ela e pergunto: “qual o meu nome?”. Muitas vezes elas me dizem “não sei”, ao que eu me apresento e ensino a criança a me chamar pelo nome.   Às vezes os pais me chamam de “tio Ferradura” e não brigo com eles por causa disso, mas como eu NUNCA me refiro a mim mesmo por este título, as crianças acabam me chamando pelo nome e ensinando aos pais. Devagarzinho vou plantando a...

Continue Reading

Semana 16 - Atividades Permanentes - Fórmula II

Tarefa XVI-b
2 of 2
Resumo: Conhecimento Novo: Nesta semana vamos iniciar a 2a parte da fórmula com atividades baseadas em cantigas populares infantis:   1. Brincadeira:  “O Gato e o Leão”   Objetivo: fazer com que as crianças engatinhem com e sem os joelhos no chão   Execução: engatinhe junto com elas com os joelhos no chão durante um tempo curto e logo mude: “Parou tudo!!! Levanta o bumbum e dá “tchau” para o amigo por debaixo das pernas!”. Em seguida, pergunte: “Quem sabe andar como o leão, com o bumbum bem alto, igual ao meu?”. Demonstre o movimento e comece imediatamente a andar junto com elas com o bumbum bem alto.   Dica: O importante é que as crianças imitem o gato, com os dois joelhos no chão e o leão com o bumbum alto, por isso VOCÊ deve estar fazendo junto. Da mesma forma, você deve mostrar o movimento de dar o “tchau” por debaixo das pernas e brincar junto com elas.     2. Brincadeira: “O Pintinho com o Sapo”   Objetivo: fazer com que as crianças acocorem, caminhem acocoradas e saltem a partir desta posição   Execução: diga que somos pintinhos, que existe um gavião grande solto por aí e que é preciso que nos escondamos dele!  Vá andando acocorado cantando a música do “pintinho amarelinho”! Depois reúna as crianças à sua volta e diga: “Olha pro céu! O gavião foi embora! Uhuuuuu! Vamos pulaaaar!!!”. Comece a pular como um sapo e pare, de forma abrupta: “Ei!!! Esse pulo não é do pintinho! Qual o bicho verdinho que mora na lagoa, pula bem alto e tem chulé?”. Quando elas disserem que é o sapo, comece a pular de sapo novamente, cantando a música do “sapo não lava o pé”.   Dica:  Na hora do pulo do sapo, demonstre uma vez,...

Continue Reading

Semana 17 – Desenvolvimento Cognitivo

Tarefa XVII-b
2 of 2
Resumo:     Conhecimento novo:   Hoje nosso tema é Desenvolvimento Cognitivo.   A cognição é a capacidade de se adquirir conhecimentos. Ela está relacionada às diversas fases de desenvolvimento pela qual o ser humano passa.   Jean Piaget foi um estudioso suíço da Psicologia e da Educação. Ele definiu estágios de aprendizagem pelos quais o ser humano passa para adquirir novos conhecimentos. Estes estágios devem ser necessariamente vivenciados no caminho da construção do conhecimento e sempre se baseiam em saberes prévios para gerarem novos. Por exemplo, somente quem consegue fazer uma conta matemática usando materiais concretos, sejam laranjas ou moedas, será capaz de fazer uma equação matemática complexa numa folha de papel.   E o que isso tem a ver com a Capoeira? Tudo. Nas brincadeiras de Capoeira trabalhamos com regras matemáticas o tempo todo.   Quando dizemos para uma criança que ela se abaixe para não ser pega estamos trabalhando com regras matemáticas.   O problema é que muitas vezes os professores fracassam em suas aulas por tentarem passar regras matemáticas complexas para crianças que ainda não alcançaram o estágio cognitivo correspondente.   Um criança de 2 anos não é capaz de compreender uma regra como: “Para não serem pegos vocês tem que abaixar e quem for pego vai virar o pegador”. Esta é uma operação matemática além da sua capacidade de compreensão.   No vídeo abaixo apresentamos uma mesma brincadeira, o “Pomba Voou” feita de forma processualmente mais complicada, complexificada de acordo com a faixa etária. Assista-o por inteiro     Tarefa da semana   Você vai filmar a 2a parte da fórmula e já editar para postar na semana que vem.   Caso não possa filmar com crianças, filme com um grupo de adultos para ir treinando.   Compartilhar Conhecimento   Copie o link do vídeo...

Continue Reading

Semana 18 – Eixo da Naturalidade

Tarefa XVIII-b
2 of 2
Resumo: Conhecimento novo: Nesta semana vamos falar dos ganchos teatrais. O  “gancho” é um pequeno gesto humorizado, teatralizado, que faz com que a “plateia” se conecte contigo.   São ações infantis, “criancices”, “bobeiras” que despertam risos e expectativa. Muitas vezes uma turma de crianças reage a uma frase ou um estímulo específico de forma muito intensa. Por exemplo, você viu no vídeo da fórmula que toda vez que eu digo: "Tô de olho!" as crianças enlouquecem e começam a gritar. Isso é um gancho que eu repito uma vez a cada aula, vinculando com a turma por meio de emoção. Cada professor pode inventar os seus ganchos e ir adaptando-os para cada turma específica.  Este tipo de "bobeira" nos leva ao mundo da criança. Lembre-se que poucos adultos sabem brincar com elas. Adultos sabem mandar, dar regras e impor sua visão de mundo. Poucos sabem se divertir e viver o universo infantil junto com os pequenos. Poucos desfrutam de suas companhias. Quando você vira o adulto maluco, o adulto infantil, o adulto que brinca e se diverte junto, os alunos reagem positivamente. O “pestinha” da escola vira um “anjo” durante a aula de Capoeira. A criança que costuma bater ou atrapalhar as outras aulas se transforma em ajudante na sua. Isso se dá quando você oferece liberdade corporal e criativa; música; diversão e conexão professor-aluno. Os padrões do sistema escolar muitas vezes dificultam a vida das crianças. O confinamento em sala de aula e a grade de tarefas obrigatória são comuns já na Educação Infantil e esta rotina muitas vezes deixa as crianças estressadas. A Capoeira funciona como uma válvula de escape, virando um oásis de divertimento. Aproveite que a Capoeira já é maravilhosa de natureza e seja um professor encantador e teatral. Tarefa da semana: Entramos em uma nova...

Continue Reading

Semana 19 – Eixo da Criatividade

Tarefa XIX-b
2 of 2
Resumo   Conhecimento novo Hoje falaremos do “saco mágico” de materiais de apoio. Dar aulas pode ser muitas vezes uma tarefa extenuante, levando o professor a um cansaço extremo. Quem trabalha em muitas turmas pode ficar sem voz ou perder sua energia tentando controlar as crianças.   O material de apoio ajuda a resolver estes problemas, trazendo um objeto de interesse externo que capta a atenção da turma e facilita a integração com as crianças.   Você já reparou que criança se distrai com qualquer coisa? Uma minhoca no chão, uma ranhura na parede ou qualquer outra coisa que atraia seu olhar?   Os vendedores de produtos infantis já repararam nisso há muito tempo. Observe que a mochila ou os sapatos das crianças têm sempre motivos fortes, cores impactantes e personagens bem elaborados. Quando a criança entra na loja, ela já se encanta pelas cores e formas.   Utilize materiais para trabalhar este encantamento nas suas aulas. Tendo um “saco mágico” você coloca objetos diversos e vai adaptando nas suas aulas. Animais, personagens, cordas, bolas. Qualquer coisa serve, desde que você teatralize o objeto como se fosse mágica, criando expectativa para aquilo que você vai mostrar.   Deve haver um planejamento minucioso da sua parte para que ao mostrar o objeto você já apresente um movimento e uma brincadeira relacionados a ele, aproveitando o encantamento das crianças.   Tarefa da semana: Falando de teatralizar, vamos entrar no Eixo da Criatividade. Sua tarefa da semana será criar uma atividade com este eixo. Pegue no 2o ebook a parte que trata do Eixo da Criatividade e estude. O resumo está na página abaixo:     Compartilhar Conhecimento Hoje você vai postar o vídeo que fez com o eixo da Naturalidade!   Lembre-se de marcar sua rede de contatos e de colocar as...

Continue Reading

Semana 20 - Eixo da Cooperatividade Semana 21 - Historicidade Semana 22 – Consciência corporal com uso de colchões Semana 23 - Movimentos Acrobáticos Semana 24 – Didática Semana 25 - Música Semana 26 - Avaliação Semana 27 - Psicologia Infantil e Necessidades Especiais Semana 28 - Requisitos mínimos à prática profissional Avaliação Final BDA

O que outros disseram

Brincadeira de Angola
Por: Marcio Lisboa

Obrigado Mestre um conhecimento inigualável

Brincadeira de angola dando um nova visão para educador
Por: Dilson Souza brito

Á capoeira veio evoluindo e como ferramenta educacional vem mostrando sua força através de seus anseios por novas formas de ensinar de forma educativa e prazerosa e este curso me proporcionou uma nova vida de como ser um educador na área parabems mestre ferradura e equipe

Referência em Metodologia
Por: Diego Macedo lisboa

Desde já gostaria de agradecer ao mestre Ferradura e equipe por democratizar e compartilhar com educadores capoeiristas ou não seus conhecimentos e experiências, algo tão necessário para o ensino da faixa etária infantil, hoje utilizo a metodologia BDA como referência de trabalho e indico a outros colegas de profissão pois temos que estar preparado para o futuro e o futuro da capoeira é se tornar uma disciplina obrigatória na grade curricular pública. Salve a todos e bons estudos!



Mais Cursos IBCE


Comentários

  1. A minha e a mesma de todos nao consigo abrir as tarefas !!!

  2. Estou gostando do curso viajo bastante e me surpreendi com o curso brincadeira de angola muito bom parabems

  3. Muito bom reforçar tudo o que foi visto no curso presencial e colocar o método em pratica! Valeu pela oportunidade Ferra!

  4. Ótima aula gostei

  5. Como faço a inscrição para a lista de espera?

  6. Boa Tarde!

    Não estou tendo acesso a Avaliação Final BDA. completei até a parte 7, porém agora não consigo acessar mais, por acaso expirou o prazo para poder concluir as avaliações??

  7. Boa tarde!

    Ainda não estou conseguindo acesso a Avaliação Final BDA. Por acaso já terminou o prazo para poder concluir a avaliação???

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.