• Logo-IBCE-B_footer
  • o Instituto Brasileiro de Capoeira-Educação
    (IBCE) é uma preparadora e certificadora, com uma metodologia de qualidade, democrática e gratuita, voltada a profissionais que trabalham ou desejam trabalhar com Capoeira-Educação.
  • Contatos:
    Rua Assis Brasil 57/901
    Copacabana - cep: 22030-010
    Rio de Janeiro - RJ - Brasil
    Tel: +55 21 992 739 360
    Email: [email protected]
    Web: capoeiraibce.com.br
  • Newsletter


  • IV MOSTRA COLETIVO 22 – Cultura popular afro-brasileira

    IV MOSTRA COLETIVO 22 – Cultura popular afro-brasileira

    IV MOSTRA COLETIVO 22 – Cultura popular afro-brasileira

    As atividades de formação serão gratuitas, com presença de oficineiro de São Paulo

    Com apresentações premia­das que navegam pela dan­ça, teatro e música, mer­gulhando nas manifestações da cultura popular afrobrasileira, o Núcleo Coletivo 22 realiza a quar­ta edição da sua Mostra, do dia 7 a 9 de junho. Na programação, apre­sentações dos espetáculos do grupo, como MoringaPor Cima do Mar Eu Vim, a performance Entre Raí­zes, Corpos e Fé, se entrelaçam com oficinas e exibição dos vídeos Èjé Elas Florescem, que expressam a força da cultura afrobrasileira e da ancestralidade. A Mostra será fina­lizada agradecendo as anciãs ances­trais com uma roda de tambor de crioula, uma ação do projeto Barro do Chão.

    Como já é uma postura política do grupo, o acesso à arte será demo­crático, a atividade de formação será gratuita e os espetáculos terão entra­das populares de R$ 5. As oficinas terão participação livre e as inscri­ções podem ser feitas no momen­to da sua realização.

    Em sua quarta edição a Mostra Coletivo 22 inicia na quinta-fei­ra, dia 7, às 20h no Centro Cultu­ral da UFG com o espetáculo Mo­ringa, uma dança feita de terra e água, cozida ao fogo e esfriada pelo vento. Uma experiência es­tética que percorre a sabedoria da natureza e das anciãs ancestrais. Na narrativa a Moringa feita do barro da criação guarda o líquido que nutre os que nascem e apazi­gua os ânimos dos deuses subter­râneos. É também a substância que no fundo do lago ou no pân­tano guarda os segredos de uma velha senhora do antigo Daomé.

    A programação segue, na sexta­-feira, dia 8, com a Oficina Núcleo Coletivo 22 às 9h no Centro Cultural UFG. Os participantes da oficina po­derão vivenciar os elementos com­ponentes da proposta estética dos espetáculos presentes na programa­ção da Mostra, além das manifesta­ções populares que fizeram parte do processo de criação: Jongo, Ba­tuque, Tambor de Crioula e Sussa.

    Ainda na sexta-feira, às 20h o Centro Cultural da UFG recebe­rá o espetáculo “Por Cima do Mar Eu Vim”, que tem como inspiração para o roteiro a travessia de afri­canos escravizados a caminho do Brasil e de sua permanência nesse território. A representação do mar, na qualidade de Kalunga Grande, é utilizado como elo entre o Brasil e a África bantu. Figuras históricas e ícones da resistência como a Ra­inha Nzinga Mbandi ecoam nesse espetáculo-musical.

    E no sábado, dia 9, às 9h no Cen­tro Cultural da UFG a oficina será “Deuses que Dançam”, com o pre­miado artista-pesquisador,Wellin­gton Campos, integra o Núcleo Co­letivo 22/ SP e da Cia Balangan/ SP, professor de Educação Física. A ofi­cina tem como objetivo oferecer aos participantes elementos técnicos e poéticos de matrizes estéticas pre­sentes nas obras do Núcleo, perpas­sando pela dança, teatro e a música.

    Na noite de sábado, às 18h, na sede do Núcleo Coletivo 22–Es­paço Águas de Menino ocorrerá a apresentação de Entre Raízes, Corpos e Fé, performance realiza­da por cinco mulheres, inspirada no fluxo entre o cotidiano e o ri­tual presente nos saberes e faze­res de mulheres do cerrado–par­teiras, raizeiras e rezadeiras.

    E a programação finaliza agra­decendo as anciãs ancestrais com uma roda de tambor de crioula, uma ação do projeto Barro do Chão.

    Depois da realização da Mostra, as atividades do grupo Coletivo 22 continuam de portas abertas para a comunidade, já que a sede do gru­po atua como um espaço cultural. O Espaço Águas de Menino fica lo­calizado na Rua Negrinho Barbo­sa, Qd 08 Lt 27, Residencial Antô­nio Barbosa Goiânia-GO.

    Participam da equipe da Mostra a diretora artística do Núcleo Coleti­vo 22: Renata Lima; os intérpretes­-criadores do Núcleo Coletivo 22: Claudia Barreto, Diego Amaral, Flá­via Honorato, Lorena Fonte, Marli­ni De Lima, Vinicius Bolivar, Renata Lima e Wellignton Campos; a pro­dutora geral: Lorena Fonte; a assis­tente de produção: Rafaela Francis­co; designer gráfico: Michel Cunha e a assessora de imprensa: Lorena Dias–Avoá Produção e Assessoria.

     

    ATIVIDADES PARA A COMUNIDADE

    Atualmente está na programa­ção o projeto Barro de Chão que convida a todos para sentir a força do Tambor e perceber como o jon­go, o batuque, o tambor de crioula, o samba de roda e a capoeira ango­la, manifestações da afrobrasilida­de, se dão no contato com o barro do chão. É realizada uma vivência, uma brincadeira de cultura popu­lar, aberta para a comunidade, uma quarta-feira por mês às 19h. Em ju­nho será no dia 13, em julho no dia 11 e em agosto, será no dia 15.

    Somado a isto, o projeto Águas de Menino oferece aulas de capoei­ra angola a partir do grupo Capoeira Angola Angoleiro Sim Sinhô. As ro­das de capoeira são às quintas-fei­ras, sendo as próximas nos dias 28 de junho e 26 de julho.

    NÚCLEO COLETIVO 22

    O Núcleo Coletivo 22 une o co­nhecimento acadêmico com o co­nhecimento popular e atua em Goiânia e São Paulo. A trupe é for­mada do encontro de quatro linhas confluentes: a formação em dança na Unicamp, o Abaçaí – Balé Folcló­rico de São Paulo, o Centro de Ca­poeira Angola Angoleiro Sim Sinhô e a Universidade Federal de Goiás no curso de Licenciatura em Dan­ça. Na convergência dessas trilhas está a professora e diretora Renata Lima que, ao longo de sua trajetó­ria artística e acadêmica, vem aglu­tinando pessoas destes contextos, e nutre um profundo respeito e inte­resse em manifestações da cultura popular afrobrasileira.

    Dessa forma para a diretora do núcleo “mergulhar na cultura po­pular para pensar e criar o traba­lho do Núcleo é uma forma de pro­testo, ou de afirmação política. E, em alguma medida, é isso mesmo. Mas esse, antes de tudo, é o nosso lugar de fala. É isso que eu, junto com meus parceiros, tenho para dizer”, explica Renata Lima.

     

    PROGRAMAÇÃO

     

    IV MOSTRA COLETIVO 22–DE 07 A 09 DE JUNHO

    Dia 07/06/2018

    NOITE

    Espetáculo Moringa

    Mostra de Vídeo Coletivo 22

    Local: CCUFG às 20h

    Ingresso: R$ 5,00 (Valor Único)

    Dia 08/06/2018

    MANHÃ

    Oficina com Núcleo Coletivo 22

    Local: CCUFG às 09h

    Entrada Franca–Inscrições no local

    NOITE

    Espetáculo Por Cima do Mar eu Vim

    Local: CCUFG às 20h

    Ingresso: R$ 5,00 (Valor único)

    Dia 09/06/2018

    MANHÃ

    Oficina “Deuses que Dançam” com Wellington Campos

    Local: CCUFG às 9h

    Entrada Franca – Inscrições no local

    NOITE

    Ensaio Ritual Entre Raízes, Corpos e Fé

    Tambor de Crioula–Ação Projeto Barro de Chão

    Local: Águas de Menino às 18h

    Entrada Franca

    Endereços:

    CCUFG: Av. Universitária, 1533– Setor Leste Universitário, Goiânia- GO

    Sede do Núcleo Coletivo 22 – Espaço Águas de Menino: Rua Negrinho Barbosa, Qd 08 Lt 27, Residencial Antônio Barbosa Goiânia-GO

     

     

    Fonte: https://www.dm.com.br/

    O conteúdo IV MOSTRA COLETIVO 22 – Cultura popular afro-brasileira aparece primeiro em Portal Capoeira.

    Share

    O Instituto Brasileiro de Capoeira-Educação (IBCE) é uma preparadora e certificadora, com uma metodologia de qualidade, democrática e gratuita, voltada a profissionais que trabalham ou desejam trabalhar com Capoeira-Educação.

    Carrinho de Compra
    Seu carrinho está vazio =(
    Subtotal
    R$0,00
    Total
    R$0,00
    Continuar comprando
    0